segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Às vezes acho...

Às vezes acho que devia de ter mantido em stand-by o gajo que andava a foder antes do gajo-mor. Acho que não devia ter tomado uma decisão tão radical de cortar o contacto com ele.

Mas depois sei que fazer isso não seria comportamento meu.
Posso ter mudado. Posso ter despegado de muitas âncoras que tinha a prender-me ao fundo do oceano mas se há coisa que me orgulho é de manter a integridade. E fazer algo assim iria deixar-me com a consciência "suja".

Por isso, não! Manter um back-up plan não é comigo. Se há coisa de que me orgulho é que eu não engano! E espero conseguir manter esse estado durante toda a vida.

Não percebo! Ou então percebo bem demais...

Sim, fiquei chateada. Sim, talvez tenha exagerado mas eu aprendi a não me calar. Também pode ser defeito? Pode, mas pelo menos agora não peco por ficar calada.
Mas quando estivemos juntos não valorizaste. Ficamos bem quando me vim embora.

No entanto, há 24 horas que me dás o "tratamento do desprezo". Dizes apenas o essencial e não interages comigo como habitualmente.
Sim, estou a dar em doida.
Sim, eu sei o que isto significa.

É bom que a doidice me passe bem depressa.

(Namorado, fui ler as tuas palavras mais uma vez... porque elas fazem mesmo sentido!)

Facebook relationship status

O que se coloca como estado de relacionamento no facebook quando:
* não se quer colocar que é complicado;
* não nos sentimos "solteiros";
* mas também não nos sentimos num relacionamento.

Devia ser possível costumizar o estado da relação... no meu caso seria qualquer coisa como "somos quase namorados mas ainda não queremos admitir... e talvez nunca o iremos admitir".

Já disse que tenho a sensação que isto não vai durar muito tempo?

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Natal

Não, eu não sou fã do Natal. Desde muito nova que tive complicações em casa por causa do Natal, o mês de Dezembro era sempre o menos desejado do ano.
Neste momento essas complicações já não existem mas o ressentimento com esta época do ano mantém-se.

No entanto, nunca pensei terminar um dia de Natal da forma como terminei o meu hoje.... a chorar enquanto conduzia no regresso a casa.

E porquê? pergunta quem está desse lado...
Simplesmente porque percebi como não sou apreciada por quem está à minha volta. Porque pensei nas subtilezas do dia de hoje e dei-me conta que:
1º a minha irmã não me conhece nem faz o mínimo esforço para me conhecer (ofereceu-me um livro que não tem ABSOLUTAMENTE nada a ver comigo... sem talão de troca.)
2º os meus pais oferecem sempre dinheiro e um determinado objecto. Todos receberam o dinheiro acompanhado do referido objecto... menos eu! Eu só recebi o dinheiro.
Podem vir dizer... "oh estúpida, recebeste o de maior valor e que dá mais jeito! Estás a queixares-te de quê???"
Estou a queixar-me que a minha mãe, quando fez as compras e tratou dos embrulhos, não se lembrou de mim... Coisa pouca? Para mim não é!

E agora estou aqui sem conseguir parar de chorar... volto quando conseguir acalmar.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Desiludida!

Desde há cerca de um ano e meio que, praticamente todos os dias, me desiludes um pouco mais todos os dias.
Hoje foi só mais um desses dias. O problema é que hoje, apesar de eu não querer, isso acabou por afectar a minha atitude para com a tua filha.

Tenho pena. Tenho muita pena,

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Particularidades de ser mulher

Eu ADORO ser mulher. Gosto do meu corpo e das minhas características femininas.

Mas tenho de admitir que não gosto das flutuações hormonais que as mulheres têm na sua essência.
Mais concretamente ODEIO tensão pré-menstrual!!!

Porra!
Ele são dores nas mamas que mais parece que preciso de pedir "por favor" para poder respirar (sim, gajo-mor... o sexo do último dia foi penoso para mim, cada toque era como facas a trespassar-me. um beijinho para ti que te esforçaste mesmo percebendo que eu estava incomodada)...
Ele são desejos incontroláveis de comer coisas estúpidas (tipo batatas fritas seguidas de pudim de chocolate..... tipo, a sério?!?!!?!?)....
E o humor completamente imprevisível? Aquele em que tão depressa estou a reclamar com o colega do lado como estou na galhofa com ele (e já toda a gente no escritório percebeu que me estão a chegar aqueles dias do mês).

Gostava de ser aquela gaja que tem TPM no dia anterior à chegada da menstruação... mas não sou!
Eu sou aquela que tanto pode não ter sintomas nenhuns (o mês passado julguei que nem ia menstruar de tão bem que andei até ao dia fatídico... sim, até comecei a stressar antes do tempo a julgar que ia atrasar e que implicações isso teria) como tenho TPM durante uma semana inteira (às vezes até mais... como este mês em que já nem tenho consciência em que dia me começaram a doer as mamas e a previsão da menstruação é só no final desta semana).

Oh meu Deus! Eu sei que a Eva fez asneiras lá no Paraíso... mas era mesmo preciso castigar tanto as mulheres?

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

eu quero alguém que me cative..... 
e a quem eu cative 
não uma coisa passageira porque olha estou sozinha e quero companhia 
provavelmente vou acabar por ficar "sozinha"
mas sabes que mais? 
não quero saber porque não me vou satisfazer com nada a menos do que acho que mereço 
e neste momento tenho muito "boas referencias" de mim própria coisa que já não acontecia há muito tempo.

escrevi isto numa conversa há 2 anos atrás...
volvidos 2 anos já tive uma coisa passageira que só serviu para matar a vontade e, neste momento, estou com alguém que me cativa mas que eu sei que não vai ser por muito tempo.
se no fim ficar "sozinha" como menciono... pelo menos não posso dizer que não vivi.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Your Mom  wore white on our wedding!

Yep! It checks!
Confesso que me ia dando um ataque quando entrei na sala... principalmente porque EU não vesti branco e ela sabia disso.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Coisa que me deixa possuída!

ODEIO que insinues que te estou a mentir! Fico possuída!
Sabes o que te digo? Vai à merdinha!

Pelo menos consegui que engolisses as palavras que disseste!

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

WTF?

Aqui há uns dias vi-me a "espumar" com uma atitude do gajo-mor (pronto, vamos apelidá-lo de alguma coisa fixa para não andarmos sempre a mudar-lhe o nome). Como era tarde e não dava jeito contactar ninguém àquelas horas... e ele não atendia o telemóvel (que até era uma das várias razões que me estava a deixar completamente passada), acabei a tentar expor a situação num fórum que, de vez em quando, frequento.

Vieram várias opiniões sobre o assunto... até que uma pessoa começou a dizer qualquer coisa deste género: ele tem outra, vê lá não lhe dês dinheiro, tem toda a pinta de ser um patife, etc., etc.
Confesso que fiquei de boca aberta!!!!
Ok, a parte do "ele tem outra" já me passou pela cabeça mas não quero entrar a matar com ele... porque pode dar-se o caso de não ser nada disso e não quero levantar falsos testemunhos. (é a primeira relação que tenho desde o meu ex... é claro que este pensamento vai estar sempre presente)
Agora o resto?!?!!?!?

Hoje percebi a avalanche de "hipóteses menos boas" que vieram daquela pessoa.
Ao ler o histórico dessa pessoa percebi que ela é um iman de verdadeiros "bad boys". Só para perceberem as histórias dela têm sempre a mesma base: conhece um gajo que lhe dá sexo fenomenal, o gajo rapidamente muda-se para casa dela, ela paga todas as contas (e lava e cozinha e etc.), gajo rouba-lhe dinheiro (este último até conseguiu aceder às contas dela online), ela passa-se da marmita, chama a policia e expulsa-o de casa. Deixei de parte algumas histórias de agressão porque não percebi se é recorrente ou se foi só com um deles.
E tudo isto se repete em ciclos de cerca de 3 meses.

Pronto, está percebida a suspeita levantada.... mas se calhar esta senhora precisava era de se ouvir a si própria!!!

domingo, 7 de dezembro de 2014

Ex e amizades? BIG NO NO

O Miguel colocou uma questão muito pertinente sobre relações... será que é possível manter amizade com um ex?

A minha experiência diz que não! Ou melhor,das experiências que tive, EU não consigo manter amizade com um ex. Isso não significa que tal situação não seja válida para qualquer outra pessoa.

Das 2 únicas relações que tive que contam como "namoro" (os outros envolvimentos foram esporádicos e não deixaram sequer mossa emocional por isso não contam para a questão), nem sequer mantive contacto com essas pessoas.

O meu primeiro namorado era amigo de um colega de escola. Conhecemo-nos numa noite de borga e começamos a namorar quase sem nos conhecermos. Éramos miúdos, ambos fizemos erros que nos levaram a um afastamento. Eu consegui ver isso, não quis procurar uma solução, acabei o namoro. Ele não percebeu e ficou ressentido por eu ter terminado o namoro.
Nem sequer se colocou a questão "vamos ser amigos". Não o éramos antes por isso....

Alguns anos mais tarde tornamos a cruzar-nos. Voltamos a namorar. Ele continuou a fazer o mesmo erro comigo. Aí eu já queria solucionar a questão e tentei fazer com que ele mudasse algo.
Falei, esperneei, comecei a dar-lhe para trás para ver se ele compreendia o que eu lhe estava transmitir. Ele achou que tudo se resolvia com um "amo-te" (confesso que ainda hoje tenho curiosidade sobre a cara que fiz quando ele se saiu com tal no meio da discussão). A verdade é que nada se resolveu... e desta vez foi ele que acabou com a relação.

Sofri muito! A verdade é que no meio daquela trapalhada toda eu gostava mesmo dele e gostava que ele tivesse feito um esforço para perceber as coisas que eu lhe dizia.
Nunca mais o vi!
Acho que depois disto o meu colega de escola providenciou que nunca mais nos encontrássemos... pelo menos por nada promovido por ele.

O meu segundo namorado foi bem diferente.
Conhecemo-nos através de um interesse comum. Construímos uma amizade forte e chegamos a sair sozinhos sem qualquer intenção amorosa.
Até que eu comecei a olhar para ele de forma diferente. Comecei a "sentir borboletas" quando ele interagia comigo.
Daí a acontecer algo foi um instantinho. Tivemos os nossos altos e baixos como em qualquer relação. Estaria mentir se dissesse que nunca fui feliz com ele. Achei mesmo que tinha encontrado a minha pessoa do "para sempre". Nele combinava a amizade com o amor.
Até ao dia em que ele entendeu que eu já não bastava e "esqueceu-se" de me dizer... e desde esse dia até eu descobrir a verdade, fui infeliz durante 1 ano. E porque fui infeliz? Porque fui humilhada, negligenciada,... Só não posso dizer que houve maus-tratos físicos, de resto aconteceu de tudo um pouco durante esse ano.

Como devem imaginar, eu saí dessa relação verdadeiramente a sentir-me um farrapo humano. Eu tinha nojo dele! Eu tinha nojo de mim! Conseguem imaginar?
Bom, o certo é que (numa das últimas conversas que tivemos) ele disse-me o que nem sequer me passava pela cabeça "podemos ser amigos como éramos antes? nós resultamos como amigos.".
Como é que naquela cabeça era possível existir um mundo onde ele me tinha "deitado ao lixo" emocionalmente mas era meu amigo? Juro que é uma questão que ainda hoje eu não consigo compreender.

Desde que nos separamos, nunca mais o vi... e espero nunca mais o ver!
Uns meses depois de nos termos separado tive de lhe ligar por uma burocracia e estava a ver que vomitava só para conseguir fazê-lo. Por isso, amizade é algo que seria impossível com aquela pessoa.

Isto não quer dizer que com pessoas diferentes não seja possível a manutenção de uma amizade após uma relação amorosa. Raios, até a mim poderá acontecer se as variáveis forem diferentes.
Mas hoje, dia sete de dezembro de dois mil e catorze, a minha resposta é mesmo um redondo não!

domingo, 30 de novembro de 2014

Não sei se ria ou se chore!

Desde que a vida me pregou rasteiras, os meus amigos procuram-me para fazer os mais variados desabafos procurando conforto em situações que, por vezes, estão completamente fora da minha "esfera de compreensão".
Devido a isso, já fui a fiel "depositária" de variadíssimas confissões. Umas mais escabrosas que outras... mas todas capazes de me surpreender, seja pelo seu conteúdo seja pela pessoa em questão.

Há relativamente pouco tempo fui contactada por uma velha amiga. Daquelas que ficam para todo o sempre mesmo que não estejam presentes em todos os instantes.
Disse-me que queria falar comigo com urgência, que achava que eu era a pessoa que a podia ajudar.
Confesso que não gostei apenas porque sabia o que viria por aí...

Há uns dias encontramo-nos para a tal conversa. Na meia hora em que ela falou e não disse nada, confesso que tudo me passou pela cabeça.
O namorado tinha arranjado uma amante, ela tinha arranjado um amante, ela tinha descoberto que o namorado era gay, ela tinha percebido que era lésbica, eles tinha decidido ser swingers para apimentar a relação e agora a situação não lhe agradava, etc., etc.
De certeza que me faltou equacionar algum cenário mas acreditem que a minha imaginação foi fértil naqueles 30 minutos.

Até que finalmente ela conseguiu confessar o que a atormenta. Encontra-se emocionalmente envolvida com uma terceira pessoa e não sabe o que fazer. Quer contar ao namorado mas não consegue porque tem uma vida construída. Mas ao mesmo tempo sente-se mal porque sente que está a traí-lo.

Ela sabe que eu vivi precisamente o contrário e por isso me procurou. Contei-lhe com mais pormenores o que se passou comigo, o que senti na altura e o que sinto que poderia ter amenizado o meu sofrimento. Também lhe disse que não acho que o sofrimento teria sido menor... apenas acho que o processo de luto não teria sido tão doloroso.

Curiosamente não fui capaz de lhe dizer "CONTA-LHE" com todas as letras... apesar de ser isso que eu, ainda hoje, advogo.
Tentei fazê-la ver que ela tem mais a perder do que a ganhar. Tentei que ela percebesse que o que lhe está a acontecer pode apenas ser um sintoma e que ela tem de procurar respostas dentro dela mesma em vez de as procurar em terceiros. Fi-la prometer que irá cortar com todo o contacto com essa pessoa.

Não sei se fui bem sucedida, se agora ela vai passar a não dizer-me toda a verdade apenas para eu deixar de a chatear. Mas a verdade verdadinha é que a quero feliz... seja qual for a decisão que ela tome!

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Acabadinho de ler:

"Quando a vida lhe apresenta a pessoa certa, você não sabe, você sente."

Não sei o que pensar desta frase.

Eu senti que tinha conhecido a pessoa certa há muitos anos atrás e isso não impediu que essa pessoa me desiludisse da pior forma possível! Da única forma em que era impossível voltar atrás.

Hoje não sei nem sinto. Hoje vivo um dia de cada vez e "apenas" espero nunca mais ser desiludida da mesma forma.
Hoje gosto da pessoa que está ao meu lado mas não vivo obcecada em saber se ele é a pessoa certa. Provavelmente não é!
Porque temos objectivos de vida completamente diferentes, porque estamos em alturas da vida completamente distintas (apesar de sermos da mesma idade), porque discutimos feitos cães (mas a verdade é que depressa fazemos as pazes).

Quantas vezes não olho para ele e acho que "isto" não vai acabar bem... que vai haver um ponto de ruptura em que simplesmente nos vamos fartar.
Provavelmente no mesmo número de vezes acho que até temos potencial para estarmos juntos, que bastará limarmos algumas arestas para nos adaptarmos já que o essencial está lá.

Por isso, neste momento não sinto... mas sendo que já senti e estive profundamente enganada, isso não me aborrece por aí além!

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

domingo, 2 de novembro de 2014

Se tu soubesses....

Quem acalmou a merda que fizeste foi o gajo com quem fui jantar.
Sem te conhecer, acabou por dizer as palavras certas para descrever o que tinhas acabado de fazer.

O problema? É que concordo com ele... e até devia ficar feliz por essa característica ser facilmente detectável em ti. Mas a verdade é que assim vou passar o tempo a magoar-me. Contigo e com todos os gajos com quem me relacionar.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Mas porque sou assim burra?

Passo os dias às voltas... até que há um dia em que digo que te quero.

Silêncio...........

Respondes horas depois sem sequer mencionar essa parte do que te transmiti.

Eu sabia que levantar apenas uma ponta do que sinto por ti só ia ter uma consequência: partir-me o coração.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Juro que não percebo!

Vi um anúncio num perfil do facebook, sendo que o único contacto que tinha era o endereço de email.

Respondi enviando um email. O email carece de resposta e foi enviado há 1 semana.
Como não havia movimentações na página de facebook, não me preocupei.

Na sexta-feira, houve actualização de estado no facebook... enviei mensagem por esse meio informando que tinha enviado email e ainda não tinha recebido resposta. Disseram que iam ver.

Ainda estou à espera da resposta e as actualizações no facebook não páram.... sempre com o mesmo anúncio!

Mas que raio é que esta gente tem na cabeça? Se não têm intenção de responder à merda dos emails porque raio é que divulgam o endereço? E porque têm sempre de partilhar a porra do mesmo anúncio se não se dignam a responder a quem já solicitou informações?

Há tanta gente a precisar de aprender umas coisinhas sobre cortesia....

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Passado é passado

Hoje estive a ver fotos antigas. Fotos que não consegui ver durante muito tempo porque representavam momentos vividos com alguém que não queria recordar. Ou porque não queria recordar esses momentos ou porque não queria que houvesse sequer a possibilidade de ver a imagem dessa pessoa.
Mas agora consigo ver essas fotos e reviver esses momentos sem mágoa associada.

Não foi a 1ª vez que estive a ver essas fotos... mas acho que foi a 1ª vez que as vi com um olhar crítico.

Comparar a imagem que eu tinha na altura com a imagem que tenho agora é algo de aterrador! Porra, eu quase que não me reconheço naquelas fotografias!
É impressionante o quanto podemos mudar apenas por não estarmos com uma pessoa que nos apaga com cada atitude que toma.
Espero nunca mais me ver nessa situação!

Homens

Para mim, conhecer homens sempre foi um problema.... mas passando os 30 e tendo ficado solteira a coisa complicou-se ainda mais. Nesta altura percebi que conhecer homens (convém que sejam hetero) solteiros e minimamente decentes é qualquer coisa de utópico.

Tenho 2 colegas com essas características... mas a cabeça deles foi de tal forma estragada por outras mulheres que nem é bom pensar em ter nada com eles sob pena de perder a minha sanidade mental. (já para não dizer que com 1 deles nem sequer há química do meu lado.... embora durante cerca de 1 ano tenho quase a certeza que ele queria alguma coisa comigo)

Houve um dia em que estive com uma amiga (também solteira) a ver os amigos de FB de ambas. Chegamos à conclusão que os gajos que lá tínhamos ou eram comprometidos ou eram gays ou eram uns canalhas.
Daí tiramos 1 ou 2 excepções....

Cerca de 1 semana depois, por mero acaso, ela apresentou-me 1 das excepções dela.... E essa excepção foste tu. Nessa mesma noite acabamos a "tomar um copo" apenas os dois e envolvemo-nos... E a partir daí estamos juntos sempre que podemos (o que não é propriamente muito).
Definitivamente fazes-me bem. E neste momento é bom ter alguém que me faz bem. Pena que não é a pessoa que me vai fazer bem para o resto da vida e, por isso, eu me mantenha em modo "vamos lá a ver se conheço gajos" (que continua a ser difícil).

[texto escrito há uns meses e já desactualizado... mas não podia ficar por publicar]

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Sorry, but I'm giving up on you!

Estou farta!
Não queres que vá ter contigo mas sabes partilhar um perfil de uma gaja sexy no teu perfil de Facebook. A gaja que podias ter aí neste momento, enquanto tu sonhas com gajas inatingiveis, está neste momento furiosa e a escrever este texto.

Dizes que não queres que eu gaste dinheiro por tua causa (mas quem é que te pediu para gerires a minha conta bancária?) e quando te digo que noutras alturas não tenho disponibilidade só sabes responder que "parece que vai ser complicado". Sabes o que te digo? Sim, vai ser complicado... porque acabou! A partir de agora, se quiseres, vais ter de ser tu a fazer o esforço.
Eu tenho uma vida e uma sanidade mental a preservar.

I'm on the market again and you don't even imagine!

Oral

Sempre "fugi" de sexo oral. Odiava fazer e nunca me senti confortável que me fizessem. Quando o meu ex me fazia e, em seguida, me queria beijar, eu desvia a cara e nunca o deixava. Odiava sentir o meu próprio cheiro e saborear os meus fluidos era algo que simplesmente me repugnava.

Agora algo mudou. Peço constantemente que o meu gajo me lamba ou chupe. Adoro que ele, imediatamente, me beije e me passe o meu próprio sabor. Adoro quando ele me lambe o clitoris enquanto me fode com os seus dedos.... dando-me a lamber os mesmos após essa "operação".
E eu? Eu, se pudesse, comia-lhe o pénis a toda a hora. Adoro chupá-lo, lambê-lo, dedicar-me aos seus colhões.

Não sei o que mudou.... mas seja o que for, neste momento gosto muito mais da minha sexualidade do que há anos atrás.

domingo, 5 de outubro de 2014

Realmente!

Este fim-de-semana levei um amigo (gay) ao aniversário de um outro amigo (também ele gay). Eles não se conheciam entre si...
Chegamos depois do jantar mas ainda a tempo de brindar ao aniversariante e de comer uma fatia de bolo.
Pouco tempo depois de termos chegado e de eu andar a saltitar para cumprimentar quem estava presente, fui ter com o meu "acompanhante" que me disse: mas porque é que tu és a única rapariga presente?

Só nessa altura é que olhei para a mesa e percebi que estava rodeada de homens gays... sendo que tenho uma relação especial e diferente com cada um deles (e ali não estavam todos os que fazem parte do meu "grupo especial"). Efectivamente eu era a única mulher ali.

Simplesmente suspirei e disse-lhe que desconhecia a razão para tal ter acontecido.

A verdade é que cada vez mais me convenço que eu devo ter sido um homem homossexual numa qualquer outra encarnação! Só isso explica que a totalidade dos meus amigos homens tenham essa orientação sexual!

Fantasias

Prometi que me vestia como a fantasia que revelaste ter.

Chegou o dia, vesti-me como tinha imaginado e esperei por ti. Chegaste e tive de descer para te abrir a porta. Vesti o casaco que fazia parte da tua fantasia. Saí de casa e deparei-me com os meus vizinhos (com quem nunca me cruzo). É certo que o casaco cobria a forma como eu estava vestida.... mas não era propriamente comprido.
Presumo que os meus vizinhos perceberam imediatamente o que se iria passar dentro das minhas 4 paredes momentos depois.

domingo, 28 de setembro de 2014

E aprender a não dizer barbaridades desnecessárias?

Não me apetece andar a ensinar quem é bem mais velho que eu que, quando não se tem nada de bom para dizer, mais vale estar calado!

(sendo que ainda por cima TODA a gente diz bem e tu és a única parva que resolveu fazer um comentário estúpido)

domingo, 14 de setembro de 2014

1º grande problema

Ontem deixaste escapar que não queres ter filhos. Isso para mim não é uma opção...

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Today, I win!

Ele disse-me (sem saber um único pormenor de toda a situação) que eu sou aquilo que tu me acusaste de não ser... e que foi a coisa que mais me magoou de tudo o que aconteceu!

Daqui se percebe que palavras ferem muito mais que acções (sendo que as acções que acompanharam os actos também não foram nada "meigas") quando usadas com o propósito de ferir quem está do outro lado.
Mas são essas mesmas palavras que levantam a moral naquele momento em que é mais preciso.

domingo, 7 de setembro de 2014

E sim, estou chateada!

Se é só comigo ou se é também contigo, ainda estou a tentar perceber.
Por isso, o melhor é mesmo ficares no teu canto e não me vires "cutucar".

Não, tu não és o culpado!

A culpada sou eu e vou sempre ser eu.

Porque sou eu que crio expectativas.
Porque sou eu que penso que ainda há esperança de ser diferente quando me dizes que "achas que não podes".
Porque sou eu que quero mais do que aquilo que, aparentemente, estás disposto a dar.
Porque a burrice é minha e não tua.

Por isso, eu sei que tu não és o culpado. Esse posto vai sempre ser meu!

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Tudo é uma questão de disponibilidade!

Quando conheci o M1, achava que não tinha cabeça/ disposição para aturar solicitações constantes da minha atenção.
Quando conheci o M2, tudo isso mudou. Passei a estar sempre disponível, sem me questionar se queria fazê-lo.
A única mudança nesta equação foi o sujeito que me solicita atenção por isso atrevo-me a concluir que não era simplesmente eu que não tinha disponibilidade emocional… eu não tinha disponibilidade para aquela pessoa porque no fundo sabia que essa pessoa não era a correcta.
(o M1 é um gajo “grandinho” por isso espero que não tenha ficado magoado aqui com a “miúda”)

sábado, 30 de agosto de 2014

Gostava tanto de ser capaz de te fazer as merdas que me fazes a mim.
Gostava mesmo! Para saber como irias reagir a uma situação dessas.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Chuva

Tens noção que andamos os 2 à chuva?
A questão é que eu não me importaria de me molhar mas tenho a sensação que tu não irias gostar nada de apanhar um pingo sequer!

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

WTF?

Elucidem-me se souberem!

É possível recuperar uma página de FB tal e qual como ficou quando foi apagada?

O meu ex apagou a página dele quando nos separamos (e criou outra onde me bloqueou mas acha que eu não sei... muaaahhh). Qual não é o meu espanto quando hoje me deparei com a página original dele... a tal que tinha sido apagada, como se tivesse sido preservada no tempo. Isso é possível????

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Finalmente gajo!

Mal sabes tu que larguei o que tinha planeado para vir arranjar-me só para ti. Espero que não faças com que um dia me arrependa.

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Complicações

Como assim as mulheres é que são complicadas?
É assim tão difícil perceber que apenas queremos um pouco de atenção, que queremos ser levadas em consideração quando fazemos parte (por mais pequena que essa parte seja) da vossa vida.
Isso não significa que vocês vão perder a vossa independencia. Se forem honestos e falarem abertamente (à priori) sobras as coisas, nada vos será cobrado.
Mas se fizerem um segredo de estado das vossas movimentações, aí terão de perceber que vamos ficar desconfiadas... por mais inocentes que essas movimentações sejam.
É mesmo difícil de perceber?

(sim, estou a ficar com a cabeça em água por uma merda que até pode não ter valor nenhum mas o certo é que não tenho forma de o avaliar porque tu te fechas em copas e só depois é que te lembras que eu existo e até é capaz de dar jeito dizer-me qualquer coisa)

Não gosto nada disto!

Não gosto quando me dizem coisas e não percebo se estão a brincar ou a falar a sério...

Uma colega acabou de me dizer "pois, é que estás muito gorda" quando eu disse que estou a ser acompanhada por uma nutricionista. 
É que a entoação foi tão neutra que fiquei mesmo com dúvidas!

sábado, 16 de agosto de 2014

Acabei de me arrepender de ter ficado em casa... raios parta!

Supostamente

Os astros dizem que não somos compatíveis. Se lermos a compatibilidade entre os nossos signos, dirá que não existe "click", que a interacção entre nós é fria e desprovida de sentimento.
No entanto, temos algo que nos atrai. Há uma química indescritível que faz com que não nos consigamos largar. Quando estamos juntos tudo flui com a maior das naturalidades... os beijos que damos, as caricias que trocamos... e o sexo com entrega total de ambas as partes!

Não vou ter ilusões e dizer que "fomos feitos um para o outro", que "vamos ser felizes para todo o sempre", etc.
Mas, pelo menos para já, os astros estão errados! Amanhã não sei como será...

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Às vezes pergunto-me se não terei ficado louca

Lembram-se do colega que eu mencionei que estava a "fazer-se"?

Acabei por conseguir transmitir-lhe de forma indirecta que tenho gajo. Notei diferença no comportamento dele... ficou constrangido a interagir comigo (quando ele é expansivo). Confesso que não gostei. Gostava mais quando ele me dava atenção (afinal quem não gosta de atenção?) mas conformei-me com a situação.

O trabalho acabou e foi cada um para o seu lado (que é como quem diz regressou cada um à sua terra).
E eu dei-me conta que estava a pensar nele... como é meu amigo recente do facebook e como ainda estão a surgir registos do trabalho em questão, "ele" passa muitas vezes na minha timeline o que também não ajuda nada.
Agora estive a falar com ele e disponibilizei-me para lhe mostrar a minha cidade.... e ele já está a dizer que vem cá um fim-de-semana.
E agora???
Fuck!

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Estamos em plena troca de galhardetes.
Eu não quero perguntar porque da última vez que o fiz chateei-me.
Por isso ando às voltas... e voltas... e voltas!
Mas tu não adiantas nada, mesmo eu tendo-te dito que não iria tornar a fazê-lo precisamente para não me chatear.
E andamos a dançar a valsa das palavras.

Até que eu me canso, cedo e acabo por perguntar!

FODA-SE!

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Engraçado.

Estive tanto tempo “fora do mercado” e, de repente, parece que “tudo me cai no prato”.
Agora tenho um colega com quem estou a fazer um trabalho esporádico a “fazer-se”.
Em todas as oportunidades que encontra aproxima-se de mim, gasta o meu nome de tantas vezes que me chama (e tenho a sensação que mais ninguém sabe o meu nome), como quem não quer a coisa perguntou-me se eu ia dormir no mesmo sitio onde o pessoal está a pernoitar e ontem, cereja no topo do bolo, espetou-me um beijo (calma, foi na bochecha) quando eu menos esperava.
Tenho de aproveitar uma ocasião qualquer para dizer que tenho namorado (já disse que o meu gajo é giro que dói? ainda estou para ver como o vou manter)… ou isso ou, um dia destes, levo o meu gajo debaixo do braço.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Hoje apanhei a gaja de quem não gosto assim tanto a falar, completamente derretida, de um fulano qualquer a quem ela acha piada e com quem troca mensagens.

Nada disso teria qualquer problema se ela não fosse comprometida e não passasse a vida a falar no "meu (dela) X".
É nestas coisas que se vêm os valores que andam por ali....

Insónia

Crise de insónia e a culpa é tua.
Porque me mantens acordada por causa do teu silêncio.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Faltas tu!

Ainda não tinha escrito decentemente sobre ti e sobre o que me fazes sentir.
A verdade é que ainda não sei verdadeiramente o que sinto.

Atrais-me? Sim.
Gosto de estar contigo? Sim.
Gosto de conversar contigo? Sim.

Mas não tenho borboletas na barriga e não sei se isso é bom ou mau.
No passado sentias... muitas vezes! E agora não as sinto.
Não sei se é porque a fase da dúvida sobre o que tu querias de mim foi muito curta. Não sei se assim é que é "amor". Não sei se simplesmente me tornei numa insensivel e já não as consigo sentir.

Tenho mais dúvidas do que certezas... e até já tive mais certeza sobre o que queres.
Mas porque raio é que a vida tem de ser assim?

sábado, 2 de agosto de 2014

“you boys can keep your virgins give me hot old women in high heels with asses that forgot to get old.” ― Charles Bukowski, Love is a Dog from Hell

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

14 comentários

Venho aqui com o intuito de escrever um pouco sobre o sentimento que me invadiu e deparo-me com 14 comentários para moderar....
Só tenho a dizer que se nota que o Namorado P.S. voltou às lides do blogger. :)

Comentários publicados e a maior parte respondidos.
Agora vou dormir e olhem.... amanhã (ou depois ou outro dia qualquer) trato de colocar em palavras o que me encontro a viver.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Ver um miudo de 16 anos e ter vontade de chegar à beira dele e de lhe dizer "sabes que és gay, certo? nunca mas nunca tenhas vergonha da pessoa que és!"

terça-feira, 29 de julho de 2014

Doidos

Quem será mais doido?

Tu que saiste de casa para me levares uma fatia de bolo?
Eu que saí de casa para ir comer uma fatia de bolo?
Ou ambos? Que usamos uma fatia de bolo como pretexto para estarmos juntos... mesmo depois de termos estado juntos na noite anterior.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Disseram-me que te viram. Alguém que te conhece apenas por fotos que lhe mostrei. Diz que ficou a olhar fixamente para ti precisamente porque achou que eras tu mas não tinha a certeza. Ias acompanhado por uma morena de cabelo curto.

Mantive-me quieta no meu canto.... mas a vontade era de te contactar a perguntar se a morena era jeitosa.

PS - ainda bem que tomei a decisão de apagar todos os teus contactos!

segunda-feira, 21 de julho de 2014

domingo, 20 de julho de 2014

Mentira

Será que alguma vez pensaste bem no que andavas a fazer? Na quantidade de mentiras que disseste ao longo dos anos? Do que escondeste uma, duas, infinitas vezes?

Será que sabes o quanto me magoaste? O porquê de eu não ser capaz de te perdoar? O porquê de eu não ser capaz de me perdoar?
Olhando para trás só consigo ver falta de verdade em tudo o que fizeste e isso minou a minha confiança em ti. Disse-te isso no dia em que me "despedi". Eu quis cortar a ligação que tinha contigo precisamente porque sabia que não seria capaz de voltar a confiar. Que iria passar a vida a olhar por cima do ombro, que te iria fazer infeliz para o resto da vida mas, ainda mais importante, que EU iria ser infeliz!
Aquilo que eu não previ era que esse estado se iria "espalhar" nos "outros". O que eu não previ é que eu não seria capaz de confiar em mais ninguém depois do que me aconteceu.

Por isso, há muitas coisas que podem ser toleradas mas mentira não é uma dessas coisas.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Tão bem treinadinha que estavas para agora, por uma coisa estúpida, tudo ter sido colocado a perder. Recuaste anos de evolução em menos de um estalar de dedos.
E agora tu andas com a cabeça em água, eu ando com a cabeça em água... achas mesmo que vale a pena?

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Really?

Tenho uma colega de trabalho que todos os dias tem de gabar o almoço dos outros.
Hoje calhou-me a mim... uma simples salada (que ainda por cima esteve a ser repetida durante dias a fio) teve direito a um "ai! que bom aspecto!".
Levou com um ar de incredulidade.

(nota-se muito que não posso com a gaja nem pintada a ouro?)

terça-feira, 15 de julho de 2014

Controlo

Odeio ter a sensação de ser "vigiada". Odeio que me liguem constantemente. Odeio que a 1ª coisa que perguntem é "onde estás?" em tom inquisitório.
Estou onde me apetece com quem me apetece e ninguém tem nada a ver com isso.

Eu sei que a maior parte das pessoas não percebe mas gosto de ser independente. Gosto de não ter de dar justificações a ninguém.
Só digo o que quero, a quem quero e quando quero.
Quanto mais insistirem, mais "patadas" e distanciamento vão receber de mim.
Lamento, comigo é mesmo assim!

segunda-feira, 14 de julho de 2014

a AC colocou em palavras o que sinto

O teu corpo em cima do meu, fundido, empurra, puxa, num ritmo alucinante, quase frenético, só oiço o ruído de fundo da tua respiração pesada, ofegante, que se sobrepõe à música dos nossos corpos. Saboreio-te o prazer. Entrego-me, rendida, feliz. Tão feliz que o medo de te perder é cada vez maior eu que nunca me prendo a ninguém, eu que não amo, nem sinto a falta. E sem saber muito bem porquê e como o conseguiste, coisa rara e nunca vista ... dou por mim a sentir-te a falta.

Podem ler aqui.

sábado, 12 de julho de 2014

Só agora me apercebi

Eu tenho os gajos com quem vou sair à noite (que são todos gays mas eu não tenho culpa que os mais divertidos e com disposição para me aturar tenham todos essa característica). 
Depois tenho o gajo com quem vou ao cinema (e com quem, às vezes, tomo café ao domingo à tarde). 
E, por fim, tenho o gajo com quem dou umas quecas (pronto, normalmente também dividimos um jantar e um pequeno-almoço... é que uma pessoa tem de alimentar para fazer todo o esforço físico que essa actividade implica).

Se calhar está na hora de arranjar um com quem conjugue todas estas actividades em vez de andar assim dispersa.

Desejo

Desejo-te! Quero que me puxes e me possuas aqui e agora.
Quero que a tua boca percorra o meu corpo.
Quero que me encostes à parede e me comas até à exaustão. À tua e à minha!

Vem cá e suga todos os meus fluidos. Seca o meu corpo e em troca dá-me o teu sumo. É dele que preciso para viver.
Desejo-te!

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Das coisas que eu me lembro!

Nós tínhamos 10 anos de diferença. Tu mais velho que eu.

Tu trocaste-me por uma gaja com menos 20 anos que tu.

O gajo seguinte que arranjo tem mais 15 anos que eu.

Devemos andar a testar as gerações todas... eu para a frente, tu para trás!

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Hoje sonhei...

Hoje sonhei contigo. Sonhei que de alguma forma nos tínhamos tornado num casal feliz. Eu tinha uma criança nos braços. Um recém-nascido que era a tua cara.
Finalmente eu tinha o que mais desejo na vida com a alegria de ter alguém ao meu lado que iria amar esse filho tanto como eu.
Era um J.! Tal como eu sempre sonhei.
O T. estava connosco, feliz por ter um irmão.

Hoje sonhei.... mas depois acordei e tive de voltar à dura realidade.

Não somos nem vamos ser um casal. Não existe nem nunca irá existir nenhum J.

Eu fiz as apostas todas na mesa errada. Conhecemo-nos tarde demais.

A vida é assim! Feita de encontros e desencontros. De apostas que se ganham e que se perdem. De sonhos e da realidade.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Se arrependimento matasse!

Hoje tive conhecimento de uma actividade porreira.

Primeiro garanti a minha própria inscrição (sou burra mas também não sou tanto).
Depois quis partilhar com algumas pessoas... para isso ponderei divulgar por email ou através de um grupo ao qual pertenço no FB. Optei pela 2ª opção pois não quis estar a esquecer-me de alguém importante.
Só quando uma determinada pessoa comentou a dizer que já se tinha inscrito é que percebi a burrice da minha parte! Basicamente convidei quem não tolero para participar em algo em conjunto comigo.

Agora é esperar que os inscritos sejam muitos para eu não ter de lidar com essa pessoa directamente!

quarta-feira, 2 de julho de 2014

Hoje senti-me só... como não me sentia só há muito tempo. A última vez que me senti assim tu ainda fazias parte da minha vida e, supostamente, eu não deveria ter esse sentimento.

Depois que te foste... deixei de me sentir só. Mesmo nos momentos em que estive sozinha, esse foi um sentimento que me abandonou.

No entanto, hoje senti-me só.
Hoje senti o peso de quem não tem ninguém ao seu lado. Não porque não tenha quem me acompanhe (afinal não me falta família e amigos) mas porque não tenho quem me ame. Hoje senti a falta de alguém que não existe e que nunca existiu. Hoje tive a certeza que esse alguém nunca vai existir.

Hoje senti-me só!

segunda-feira, 30 de junho de 2014

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Começas logo mal!

Disse-te, no inicio do mês, que chegava (quase no fim do mês) às X horas (meio de tarde).
Hoje dizes-me "vou almoçar com amigos e só me despacho às X+2 horas".
A sério???? Vais almoçar a tarde inteira? Vais-me deixar à seca durante 2 horas?

Se me dissesses que estavas com a tua família eu compreendia. Agora assim? Começas logo tão mal!
Não o declarei com todas as letras... mas sim, gostava muito que viesses ter comigo no sábado. Gostava de ser mimada nesse dia simplesmente porque isso não acontece há muito (demasiado) tempo.
Eu sei que tenho tendência para fugir... mas tu eras a pessoa que eu deixaria entrar um pouco no meu espaço nesse dia.

Nunca vou dizer isto abertamente a ninguém.
Mas se o fizeres, acredita que vais entrar no meu coração. (coisa que eu ainda não sei se queres e que ainda não sei se eu quero)

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Dassssseeee

Se eu quisesse opiniões pedia-as... Sendo que não as pedi, agradecia que parassem de mandar bitaites sobre a minha vida!

domingo, 15 de junho de 2014

Constatações

Acho piada a loiros de olhos claros... encantam-me, fico babada!

Mas os que me arrebatam e acabam, invariavelmente, por me levar para a cama são os morenos. Tez "chocolate de leite", cabelo escuro e olho castanho.
Vai-se lá explicar as atracções... principalmente as sexuais!

Ontem

Ontem foi dia de stress.
Foi dia de pensar (e pensar e pensar) sobre como seria a minha vida se.... e se por um lado ficaria feliz por outro não sei como a outra parte iria reagir e isso assusta-me.
Mas pelo menos tenho uma certeza, a minha decisão na situação apresentada é irrevogável!

Hoje é dia de descanso. No fundo tudo acabou por acontecer da melhor forma.

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Amanhã

Amanhã é o dia em que me permito começar a stressar. Hoje ainda não o vou permitir!

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Nos últimos tempos sei que não tenho andado 100% bem.
Tenho colocado um sorriso nos lábios e tenho seguido em frente. Tenho dito a todos os que me rodeiam que me sinto bem mas tenho plena consciência que isso não é a verdade pura e dura.
Infelizmente tenho recorrido aos mecanismos de defesa que tão bem reconheço em mim e que andei a combater (e a reconhecer) durante tanto tempo: tenho empurrado as "coisas que me chateiam" para o fundo da cabeça para não pensar nelas, para não as considerar.

Mas tem de haver um dia em que eu admito o que anda cá a bailar e que não me agrada.

Eu não sei ser esta pessoa. Eu não consigo ser a pessoa que anda com alguém mas que não tem um relacionamento.
Não estou a trair ninguém mas sinto que não estou a ser honesta comigo própria.

Hoje o pensamento geral tem sido... mas e se eu conhecer alguém que me agrade, com quem eu esteja disposta a avançar com uma relação e que também queira o mesmo. O que faço? Sou plenamente honesta e digo-lhe que tenho de colocar um travão numa outra situação que não tem qualquer tipo de definição a não ser "vamos dar umas quecas"? Não lhe digo nada?
Acho que já deu para perceber que estou confusa.... e principalmente pouco confortável com a situação.

Digo e repito... gosto de ti. Agradas-me mesmo! Mas não, contigo não terei um relacionamento amoroso... essa é a única certeza que tenho neste momento!

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Sugestão

Quero deixar aqui a minha sugestão para a tua pessoa.

Vamos juntar os teus olhos azul-bebé com os meus olhos verdes. Que dizes?
Eu cá acho que a combinação ia ficar bem gira!

(já para não dizer que tens uma voz daquelas que me derrete feita manteiga ao sol)

domingo, 1 de junho de 2014

Vieste

Vieste cá, estiveste comigo, elevaste a temperatura do meu corpo e foste-te embora.

Não me sinto usada porque talvez eu tenha sido quem mais te usou. Porque olho para ti e sei que não há forma de algum dia termos uma relação assumida... mas ainda assim uso-te na cama com o maior descaramento.

Ainda não consegui perceber se sabes que apenas te estou a usar.
Ainda não falaste de mim à pessoa que nos apresentou (nem tens de falar) mas ao mesmo tempo tu é que tens feito o esforço maior para estar comigo.
Deixas preservativos em minha casa porque EU posso precisar. E eu não te respondo que sim nem que não.... apenas me rio e continuo a fazer o que estava a fazer.

Se por vezes parece que queres conhecer-me e que eu te conheça para além do vale dos lençóis... por outras és evasivo e não pareces ter interesse em mais nada a não ser no meu corpo.

E eu não sei.... acho que simplesmente vou deixar que as coisas aconteçam da forma que tiverem de acontecer.

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Inveja

Eu não gosto de sentir inveja dos outros... até porque tenho tantos outros pontos da minha vida que não são melhores nem piores, são apenas diferentes e fazem-me feliz!

Mas custa-me ver publicações de quem acaba de ser mãe ou pai. Custa-me porque é o meu sonho de vida que ainda não realizei nem sei se algum dia vou realizar. Custa-me porque o relógio não pára e eu cada vez mais tenho medo que, quando os astros se conjugarem, eu já não vá a tempo.

Atenção, eu adoro todas as crianças. Eu adoro os bebés dos outros e adoro ver que os outros são felizes com o nascimento dos seu próprios filhos.
Mas eu também queria ser feliz com o nascimento de um filho meu! Eu também queria ver a minha barriga crescer e saber que nessa barriga estaria a crescer uma nova vida.

Por vezes consigo engolir em seco e "gostar" dessas publicações (até porque genuinamente gosto delas) mas tenho outras vezes em que simplesmente não consigo.
Apenas dói demasiado!

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Enganaste-me

Não há muito tempo disseste-me que quando queres algo pensas muito sobre o assunto, pesas os prós e os contras e no fim fazes sempre o que queres (mesmo que haja mais contras do que prós).
Eu acreditei em ti!

E agora deparo-me com uma situação em que fazes precisamente o contrário que advogaste nesse dia. Percebo que andaste a brincar com os sentimentos da rapariga e, quando ela ganhou coragem para os expor, tu fugiste.
Terás consciência que ela não tem estofo para aguentar um golpe desses?
Se por um lado dou graças a Deus porque não sou eu que estou na posição dela, por outro acho que mais valia ser eu.... eu aguentaria um golpe desses muito melhor. Ela desfez-se em lágrimas e em culpa quando, no fundo, a pessoa a "culpar" és tu.

Não gostei!
Demonstraste ser um cobarde que se refugia no confortável caminho da infelicidade em vez de arriscar na possibilidade de ser feliz... mesmo que seja apenas por instantes!

Sinto-me enganada e não foi nada directamente comigo.
Sinto-me enganada pelas coisas que lhe disseste, pelos gestos que tiveste para com ela, pelas demonstrações de afecto que assisti de ti para ela.

Agora? Agora nada mais me resta a não ser ajudá-la a apanhar os bocadinhos de orgulho que ajudaste a quebrar.

[no meio disto tudo também tenho pena de ti... que escolhes ser infeliz. só posso chegar à conclusão que nunca foste feliz, de outra forma essa nunca seria uma possibilidade a considerar]

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Do Shiuuu

Acabei de comentar este segredo:


com este texto:

Praticamente toda a minha vida me considerei feia. Cheguei a assistir a discussões de colegas de turma (rapazes) onde a questão era qual a rapariga mais feia da turma... e a disputa era entre mim e uma outra colega. Como podes imaginar isso não contribuiu em nada para a minha auto-estima. Cresci sem qualquer exemplo de feminilidade (a minha mãe é uma pessoa simples e sem qualquer sentido de estética feminina), o que foi mais um ponto a favor da minha "fealdade".

Até um dia.... o dia em que iniciei uma relação com a pessoa que viu em mim algo mais que as roupas disformes que eu vestia e a cara e o cabelo sem cuidados.
Ele mostrou-me que eu podia ser bonita se quisesse... e eu comecei a prestar atenção aos cuidados de beleza. Comecei a procurar perceber quais as roupas que me favorecem e o que devo fazer para tratar de mim.
Ele já não existe na minha vida (e fez-me muito, demasiado mal) mas tenho a agradecer-lhe esse despertar da minha feminilidade.

Hoje em dia, gosto do que vejo ao espelho (não a 100% mas um dia eu chego lá) e há quem também goste dos resultados que obtenho.

Tudo isto para dizer que é possível passares do estado "eu sou feia" para o estado "eu sou LINDA e quem não quiser ver isso pode ir dar uma volta"... é só teres o estímulo apropriado.

Muitos beijos e muita força!

Porque esta é a história da minha vida.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Facebook

Eu sou daquelas pessoas que não aceita convites de amizade de quem não conhece de todo.... e há pessoas que conheço e de quem simplesmente decido não aceitar convites de amizade.

Depois de explicar isto... passo à história que me traz cá hoje.

Em tempos muito muito idos, tive um professor na universidade. Foi meu professor em 1/3 de uma cadeira semestral (pois... deu-me praí umas 4 ou 5 aulas). Esse professor era giro de cair para o lado! E tinha um nome fora do comum. Resumindo, recordo-me bem dele e do nome dele.
Passados alguns anos, quando comecei a trabalhar na área em que trabalho hoje em dia.... apercebi-me que a ciência que ele estuda também influencia o meu trabalho. Já li alguns artigos dele e, inclusivamente, já assisti a 1 ou 2 comunicações dele em seminários.
Nunca fui ter com ele e lhe disse que fui aluna dele.... tenho a certeza absoluta que ele não me irá reconhecer e não estou para me expor ao ridículo que seria explicar que fui aluna dele num curto espaço de tempo, há milhões de anos atrás mas que me lembro dele!

Ontem, sem razão aparente, lembrei-me dele. Procurei o nome no Facebook (acho que não foi a primeira vez que o fiz) e decidi enviar um pedido de amizade... assim, sem mais nem menos.
Ou seja, fiz aquilo que odeio que me façam.... e fiquei a rezar aos santinhos todos para que ele não fizesse o que eu faço.
E ele não fez... ele aceitou o meu pedido de amizade.

E agora tenho um bonitão na minha linha temporal (sim, que o tempo parece que não passou por aquelas bandas) e nem sei muito bem como reagir... ou até se deva tentar algum tipo de interacção.

Apanhada!

Quando te conheci e me envolveste, pensei que não queria estar contigo nem sequer saber de ti numa base diária. Não queria saber onde estavas a toda a hora e demorava horrores de tempo a responder-te porque não queria intensificar o contacto.

Continuo a não querer essas coisas.... mas noto que, aos poucos, estás a virar o "jogo" contra mim.
Agora és tu que demoras a responder e eu dou por mim a pensar que, se calhar, podes não ter o interesse que demonstraste inicialmente e isso não me agrada. Porque quero que tenhas interesse... porque eu tenho interesse. Mas depois de um silêncio prolongado (que eu acho que é parte involuntário e parte intencional) voltas a responder e isso alegra-me o dia.

Acho que fui apanhada na minha própria rede....

sábado, 17 de maio de 2014

Coisas que sabem tão bem!

Ir jantar com um amigo e, depois do jantar, irmos conversar para um parque tendo ele encostado a cabeça ao meu peito e tendo eu feito um cafuné na cabeça dele.

Juro que se ele não fosse gay era capaz de jurar que tinha havido química ali... e ele nem é nada o meu tipo (e não é por ser gay).

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Ainda no âmbito do meu trabalho

Diariamente lido com muitas pessoas (às vezes demasiadas para o meu gosto) mas é muito raro conhecer pessoas interessantes nesse contexto. (sim, estou apenas e só a falar a nível físico... o contacto é tão "toca e foge" que não dá para avaliar mais nada).

Por isso, quando me deparo com um gajo alto, bem constituído, moreno, com olhos azuis e que não é um autêntico bronco, isso é razão para ele ser alvo de comentários da nossa parte.
Entretanto descubro que o gajo em questão é solteiro.... por isso a questão que se coloca a seguir é: será gay (não me pareceu mas como o conheci em contexto de trabalho é mais difícil avaliar) ou será um cabrão com pernas? Confesso que não me importava de avaliar... se é que me faço entender!

terça-feira, 13 de maio de 2014

Ora,

Tenho um contacto telefónico especifico do trabalho.

Já não é a primeira vez que me ligam/ enviam sms com números que não conheço e que quando tento contactar de volta me respondem que se enganaram no número.

Das duas uma ou é um número muito fácil de "inventar" para tentar contactos aleatórios ou isto é tudo uma coincidência dos diabos! (o último contacto deste género foi às 6h da manhã de um domingo em que ainda por cima deixaram uma mensagem de voz onde não disseram nada, há mesmo gente que não sabe o que fazer ao dinheiro!)

sábado, 10 de maio de 2014

Nunca pensei

Nunca pensei estar nesta posição. Nunca pensei vir a ser a pessoa que gosta da companhia do outro mas, no fim, só quer sexo dele. Ainda por cima toda a situação se propicia a isso porque moramos a uma distância considerável e temos empregos demasiado estáveis para deitar tudo a perder considerando a hipótese de sairmos de onde estamos.

Confesso que achei engraçado quando esta manhã me disseste que gostavas de mudar de ares mas que, no teu emprego, não te devem deixar sair tão cedo. No entanto, espero que isso não seja um indicio de que te estejas a apaixonar. Porque eu não estou... nem quero!
Eu estou bem a fazer umas viagens de vez em quando para ir ter contigo e a passar umas noites de sexo intenso (e meu Deus, que intensidade!). E neste momento não quero nem preciso de mais nada.

Nunca pensei mesmo que algum dia eu pudesse estar nesta situação. Mas sim, está a saber-me muito bem!

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Só me apetece dizer asneiras

Foda-se!
Caralho!
Merda!
Puta que pariu estes gajos!

Porra para esta merda toda!
Ide ver se eu estou na esquina de perna aberta... mas é melhor levarem um banquinho para não se cansarem muito enquanto ficam à espera!

Maldita a hora em que deixei que me convencessem que este trabalho era o melhor... estou tão farta desta porra!

domingo, 4 de maio de 2014

Dia 3 de Maio de 2014

Este é o dia para ficar na minha memória.

Este foi o dia em que percebi que já não mexes com as minhas entranhas... e, por coincidência ou não, este foi o dia em que te vi após quase 2 anos e constatei que não mexes mesmo com nada do meu ser.

Já me tinha cruzado com os teus primos, tios e pais mas ainda não te tinha posto a vista em cima desde aquele dia em que saímos juntos do tribunal e cada um seguiu a sua vida. E ontem foi o dia em que me cruzei contigo.
Tive a hipótese de te ignorar porque apenas te vi "pelo canto do olho"... e acabei a fazê-lo porque não tinha absolutamente nada para te dizer.
Mas fiquei tão feliz porque percebi que para mim já não és nada. Nem sequer posso dizer que és um animal repugnante porque perante um desses espécimes eu teria uma reação de nojo e contigo nem isso tive.

És apenas uma pessoa que faz parte do meu passado. Uma pessoa que me marcou pelo melhor e pelo pior. És a pessoa (por tudo o que me fizeste) que me fez crescer na mulher que sou hoje. E eu já disse que adoro ser esta mulher? Não?
Pois aqui eu afirmo com toda a convicção! Eu ADORO ser quem sou... com todas as qualidades e com todos os defeitos! :)

sábado, 3 de maio de 2014

Toda esta situação tem a possibilidade de correr muito bem ou muito mal.
Estou a torcer pela 1ª hipótese.

Bom, mas entretanto pelo menos foste a razão pela qual trago um sorriso (daqueles bem estúpidos) no rosto. E a razão que me leva a sorrir quando recebo um email ou uma sms, que pode não conter nada de mais mas pelo menos é a prova que alguém se lembra de mim (alguém que eu quero que se lembre de mim). Para além de já me teres levado a cometer uma pequena loucura.

É, espero mesmo que tudo isto não corra muito mal...

sexta-feira, 2 de maio de 2014

No meio desta trapalhada que é a minha vida pessoal

Andar a penar porque acho 1 pessoa interessante e essa pessoa nem sequer olha para mim. E de repente conhecer uma outra pessoa, bem mais velha que eu, e acabar por me envolver com ele....

Ele achou-me piada e eu achei-lhe piada... vamos fazer o quê?
Vamos avançar e ver no que isto dá.

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Se soubesses

É certo que estou a analisar a situação do lado de fora. Que comparo versões de várias fontes e talvez isso permita que eu tenha uma percepção muito mais precisa dos factos.

Mas sabes que, sabendo o que sei, acho mesmo que ela não é aquilo que procuras. Acredito que não tenhas noção o quão "messed up" ela é. Acredito que não seja isso que andas à procura.
Com isto não quero dizer que eu sou a pessoa certa para ti... apenas não considero que ela o seja. Mas isso é algo que tu vais descobrir sozinho ou então que me vais provar que eu estou errada.

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Como diz uma amiga minha!

Tu é que te passas!

Sim, é verdade! Eu é que me passo.

Ontem, saí do ginásio a rir-me interiormente.
Um dos instrutores anda a ser fortemente assediado por uma miúda. Quando me vim embora ele estava com ela e com uma cara de "quero ir-me embora e esta gaja não me larga".
Ela fica SEMPRE a falar com ele no final das aulas, mesmo quando vai fazer a aula que ele dá a seguir. Coitado! Confesso que ando cheia de pena do rapaz. Ninguém merece marcação cerrada daquela forma!

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Só a ti!

Marquei viagem para uma determinada altura muito importante e só te disse a ti qual o destino dessa viagem. Ainda ontem me perguntaram qual era o destino e, graciosamente, dei a volta à questão e não respondi à pergunta. Só quando isso aconteceu percebi que se a conversa surgir na tua presença, tu saberás a resposta... coisa que irá espantar muita gente! (só espero que não juntem dois mais dois)

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Porquê?

Porque é que sempre que eu me interesso por alguém (algo já de si tão raro) essa pessoa nunca se interessa por mim? Mas eu tenho algum letreiro na testa que espante os que me atraem?

Ontem ela transmitiu-me as palavras doces que lhe disseste... e eu fraquejei mais um bocadinho. É certo que, pelo menos desta vez, eu sei o que se passa entre vocês por isso não me sinto de todo "enganada" neste processo.
Mas dói! Dói demasiado saber que lhe dizes o quanto ela é bela. Dói saber que lhe confidencias pormenores da tua vida e procuras apoio no ombro dela. Dói perceber que não queres saber de mim quando ela me conta que não vê em ti o mesmo que vês nela... quando eu olho para ti e vejo um potencial imenso!

Por isso, no meio desta confusão que se gerou... a minha única esperança é não me magoar mais do que o estritamente necessário. Isso e que ninguém nunca perceba o que vai dentro de mim.

Irritada!

Mas que raio de merda! Queres estar com ele mas os outros é que têm de fazer o convite? Já crescias um bocadinho não? Eu quando quero estar com alguém faço eu própria os convites não ando a pedinchar a quem está à minha volta para os fazer por mim.
Sim, estou muito irritada!

terça-feira, 15 de abril de 2014

Definitivamente, eu sou a gaja fofa que oferece o ombro quando vê que os outros precisam. Sou a gaja que tem sempre uma palavra de carinho para com os outros quando as coisas não correm pelo melhor.

O problema disso é que, só depois de fazer essas coisas, penso que poderei ser mal interpretada. Que os outros podem ver isso como maior aproximação do que aquela que pretendo.

Neste momento estou a passar por isso com um colega. Passou por uma situação muito complicada e demonstrei e estou a demonstrar que estou disponível se ele precisar e quiser.
Da última vez que estive com ele (para um mero café a meio da tarde), abraçou-me, agarrou.-me, etc. quando isso é coisa que não é habitual entre nós.
Claro que não me mantive fria até porque esse não era o objectivo... ele precisa mesmo de carinho. Mas fiquei com receio sobre o que lhe iria no pensamento.

Por vezes...

Por vezes sou tão burra mas tão burra que até mete dó! :(

sábado, 12 de abril de 2014

Em conversa

Estive a conversar com as meninas (entre elas está o alvo do teu interesse) e uma delas disse algo que me fez pensar: "Hummmm até tens razão! E se é assim, eles não têm nada e não, por isso vou ser parva de me colocar de parte?"

Sabem que mais? Não me vou colocar de lado a ver o avião a passar.
Tudo isto serviu para eu descontrair na forma como o trato... a partir daqui, se ele quiser escolher uma de nós, óptimo. Se a escolher a ela, amigos como antes (até porque eu gosto dos dois). Se não escolher nenhuma, paciência

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Deves andar cheio de comichões

Dizem que têm muito cuidado com o que te escrevem... tem de ir tudo perfeito!

E aí eu penso no que te escrevo e percebo que deves andar cheio de comichões.... é que eu faço tudo aquilo que, pelos vistos, tu não gostas. (e sim, fui ler as conversas anteriormente mantidas contigo)

Não percebo

Quer dizer, depois de termos investigado e termos dado como certo que arrastas a asa para a moça... começas a meter-te comigo? 
De tal maneira que até a rapariga (a quem não posso dizer nada com todas as letras porque supostamente nem eu sei) já diz que tens um fraquinho por mim e não por ela?

Sabes o que te digo? Vai à merdinha!

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Eu ponho-me em situações que nem lembra ao diabo

Ela faz merda com ele. Vem pedir a minha opinião. Eu comprovo que ela fez merda. Dou-lhe na cabeça e ainda dou conselhos sobre como ela deverá agir para minimizar a situação.
Sim, porque a continuar com aquilo ela só se ia enterrar cada vez mais!

 No fim só consigo pensar, mas que mal fiz eu a Deus para merecer uma coisa destas????

 (também não seria capaz de a prejudicar só porque ele se interessou por ela e não por mim)

terça-feira, 8 de abril de 2014

:(

Já tenho a confirmação confirmada, alguém teve a lata de te perguntar com todas as letras... a rapariga interessa-te!
E agora eu fiquei mesmo triste. Principalmente porque estive aqui em amena conversa contigo. Porque estive a falar de mim e de ti e de objectivos de vida e..... raios! :(

sábado, 5 de abril de 2014

Só eu!

Combinamos passar uns dias fora, querem convidar-te mas não o fazem. Tenho de ser eu a fazê-lo! E lá vou eu, com as mãos a tremer e o coração aos pulos, fazer-te a pergunta quando supostamente a interessada é outra.
No meio dessa complicação só penso: "olha que bela alhada em que me vim meter. se aceitas o convite vou passar uns belos dias... a olhar para a cumplicidade dos dois pombinhos".

No fim, acabas por não aceitar... já tens planos para esses dias. E eu respiro de alivio!

quinta-feira, 3 de abril de 2014

A auto-castigar-me

Mas porque raio é que eu aceito convites para eventos em que sei que vão estar os dois e, invarialmente, vão acabar por se embrenhar em conversa a dois? É mesmo só para eu continuar a perceber que não tenho qualquer hipótese? Ou será que é algum meio estranho que eu inventei para me auto-castigar? Agora já aceitei o convite por isso tenho mesmo de ir não é? Fuck!
Meu Deus rapariga! Vais fazer o quê a quem????
Tão depressa tens muitas dúvidas e indecisões como dizes que te vais declarar? A quem? Ao nº 1, ao nº2 ou ao nº 3?
Olha, eu não sei se ria ou se chore!

Só olho para ti e não consigo ver mais do que uma criança a brincar aos sentimentos.... e tenho pena que seja assim!

Pontos soltos

1º não percebi se foste com esperança de a encontrar (sendo que ela foi mas não estava previsto ir) ou se foste porque eu te convidei ou se foste porque conheces aquele meio ou ou...

2º eu digo que gosto de barba e tu vais e tiras a barba (apesar de eu gostar de barba, já tinha pensado que tu devias ficar melhor sem ela e acabei por o comprovar).

3º estou à espera dos elogios que me prometeste... cheira-me que os vais fazer quando menos eu estiver à espera para me deixares de "cara no chão", ou seja, meti-me numa bela embrulhada.

terça-feira, 1 de abril de 2014

Acabaram de me dizer

Se eu fosse hetero, não me escapavas!

A sério? A sério?!?!?!? Porrinha!

Imaginação

Cenário real:
Eu a fazer a aula de RPM, logo na 1ª fila e a olhar directamente para o meu reflexo no espelho.

Cenário imaginário:
Vejo-te entre mim e o espelho, aproximas-te de mim e beijas-me. Sou capaz de jurar que sinto os teus lábios nos meus.

Foda-se mais a imaginação fértil! Nem na aula de RPM consigo estar sossegada!

Eu percebo...

Ela é gira e tal e coisa. Mas ontem tive a confirmação de como vocês são diferentes. Ambos comentaram algo que eu fiz com posições completamente antagónicas.

Ela nitidamente não percebeu porque é miúda (embora a idade não seja assim tão diferente da minha). Fez uma interpretação literal. Espanta-me como uma pessoa interessada nas letras não consegue ler nas entrelinhas.
Tu foste ao cerne da questão. Percebeste sem tirar nem pôr o que eu queria dizer e ainda te identificaste com isso.

E no meio disto tudo eu fico com estas duas informações e tenho de as digerir. E questiono-me o que um homem como tu verá nela... Provavelmente é mesmo só o aspecto físico embora isso me espante vindo de ti.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Ups!

Estamos em meio de conversa e eu digo as 3 características que me agradam num homem. Olho para a frente, para ti, e penso:

Bugger, acabei de te descrever!

Farta!

Estou farta que me venhas dizer que não estou preparada para uma relação. Isso quem sabe sou eu!!!!

E sim, acho que estou preparada para ter uma relação. Não acredito é que isso venha a acontecer num curto prazo de tempo tendo em conta o nº de gays que tenho vindo a conhecer mais os gajos que estão interessados noutras... acabam por sobrar 1 ou 2 que se interessam por mim e que não mexem absolutamente nada.

Lá está, não estou é disposta a ter uma relação só porque sim. Tem de ser alguém especial, de quem eu goste e por quem eu sinta alguma coisa.

Convites

Convido todos porque, no fundo, quero convidar-te a ti mas não tenho lata para o fazer.
Pode ser que, como ela vai, tu também decidas dar um ar da tua graça.
Se for assim, eu vou continuar a ver-te dar-lhe atenção enquanto eu só digo um monte de parvoíces sem sentido. É o que temos!

domingo, 30 de março de 2014

Ver-te ali... quieto e calado! Faz-me urticária!
Quero meter-me contigo. Quero saber o que pensas. Quero perceber...
Mas tu não deixas!

Por isso, eu fico no meu canto.. a torcer-me toda com vontade de saber o que estás a fazer desse outro lado.

E depois, claro, quando estamos juntos noto que sou diferente contigo. Porque só a tua presença física mexe com as minhas entranhas e eu deixo de ser quem sou para ser alguém muito mais recatado e que não sabe muito bem com se comportar.

Mas eu não vou mexer.... está visto que eu não te agrado. Com muita pena minha!

Mensagem recebida

Ok, foi muito evidente que estás interessado na minha colega...

Vou só ali amuar a um canto (onde ninguém me vê) e continuar com os meus orgasmos à tua conta (sem ninguém saber).

[porquê eu minha gente?]

sábado, 29 de março de 2014

Vamos ser muito frontais

Vamos falar de sexo.

Sexo é, na sua essência, essencialmente psicológico.
Por isso, se tu sonhasses o orgasmo que eu tive apenas porque imaginei que me possuías... das duas uma, ou ias ficar completamente envergonhado e nunca mais me olhavas na cara ou ias adorar e agir sobre o assunto. Claro que eu preferia a 2ª hipótese mas não há forma de saber qual seria a tua reacção.

Este fim-de-semana promete

Dois "moços" demonstraram vontade de estar comigo... a ambos disse "vou estar no sitio X à hora Y, se quiseres aparece".
Pois... não faço questão de estar particularmente com nenhum dos dois. Apesar de reconhecer que ambos são boa companhia!
[Com quem eu queria estar, não me pergunta se pode ir ter comigo.]

Bom, mas retomando. Até estou para ver se me aparecem os dois como é que cada um vai reagir à presença do outro.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Eu não vou dizer isto a quem de direito....

Mas minha amiga, o gajo que me disseram que anda a fazer-se a ti, disse-me há 2 dias atrás que, quando quer fazer uma coisa, pensa sobre o porque não a deve fazer... e depois faz!

Por isso, se ele a anda mostrar-te as "garras" é porque passou à fase do "fazer"! Aproveita a coisa! :D

terça-feira, 25 de março de 2014

Eu não existo!

Fico contente porque o meu amigo (o tal calado) deixou de me fazer olhinhos de carneiro mal morto!

Não estava com ele desde antes do Natal e estive há uns dias.... e a felicidade que foi ter percebido isso!

domingo, 23 de março de 2014

sexta-feira, 21 de março de 2014

Nas nuvens

Será que ando mesmo nas nuvens e ainda não me apercebi?

Quer dizer... acho que no fundo já me apercebi mas não quero admitir. Ele não é de todo o que imaginei para mim. Tem aquele jeito meio akward do qual fujo a 7 pés mas ao mesmo tempo puxa pela minha originalidade e pela minha inteligência.
Não consigo perceber se estou a apaixonar-me pelo homem se pelos textos e isso assusta-me! É que assim há a possibilidade de eu estar a criar uma pessoa na minha cabeça que vai acabar por apenas estar no campo da ilusão.

Tenho de tirar a cabeça da nuvens e colocar os pés no chão! Cheira-me que vai ser difícil!

quarta-feira, 19 de março de 2014

Tu

Hoje apetecia-me falar contigo. Apetecia-me pegar no telefone e ouvir a tua voz.

Acho que me viciei nos teus elogios e nos teus agradecimentos por aquilo que fiz por ti e pelo teu projecto. Não o fiz com essa intenção. Não o fiz pela vontade de te ouvir a elogiar-me mas o certo é que, cada vez que o fizeste, isso me marcou.

Não, não és aquilo que imagino para mim... mas o certo é que me deixaste sem jeito e nervosa. E no fim, quando fui despedir-me de todos de forma individual e me abraçaste sem qualquer constrangimento, fiquei sem saber como me comportar.
Gostava de estar contigo. Só contigo! Para conversarmos pacificamente e sem interferência de terceiros. Mas eu não irei tomar a iniciativa para que isso aconteça... e tu também não!

Por isso vamos ficar assim... eu a apaixonar-me pela tua escrita e tu sem saberes o que se passa dentro de mim!

domingo, 16 de março de 2014

MERDA!

Mas porque raio é que a vida tem de ser tão madrasta?

Não percebo quem vive numa redoma de vidro

Talvez seja eu quem está errada... mas há coisas que não consigo compreender.

Ontem fui sair à noite com umas colegas. Todas estamos solteiras.
A certa altura da noite um rapaz começa a meter-se comigo. O grupo onde ele está foi tirando umas fotos ora me pedindo para eu lhes tirar as fotos ora ele me puxando para me juntar ao grupo.
Levei a situação na boa. Em momento nenhum me senti desrespeitada nem senti que ele iria passar das marcas.

Pois uma das pessoas que estava comigo ficou super irritada e quis sair dali.
Quando saímos disse-me que tinha achado muito mal, que se fosse ela não tinha deixado tirar as fotos porque não se sabe para onde aquilo vai.... E ainda acrescentou "mas quê? a seguir ia pedir o teu nº de telemóvel?".

Ora bem, eu não achei mal a situação das fotos. Não me foram tiradas fotos em situações comprometedoras. Foram tiradas fotos numa discoteca onde eu me estava a divertir de forma plenamente consciente. E se as fotos forem parar ao FB? Eu não conheço o gajo, ele não me conhece a mim... portanto nunca serei identificada nas mesmas.
Se ele me tivesse pedido o número.... olha, teria-me safado da situação. Qual era o mal???

Lá está, eu quando vou sair à noite não vou propriamente para o engate... mas também não fico numa redoma de vidro, porra!!!
Eu vou sair para me divertir, para ver quem está por ali.... e se for vista ainda melhor!
Aparentemente há quem vá sair para ficar dentro de uma redoma e, sinceramente, isso não me agrada!

quinta-feira, 13 de março de 2014

Coisas estranhas que eu faço... ou melhor, que quero fazer e não faço

Falei com o tal gajo sobre um pormenor estranho de uma viagem que eu fiz em tempos.
Andei a vasculhar fotos e encontrei esse pormenor numa das fotos.

Já adicionei a foto como anexo num email para lhe mandar.

Mas será que lha vou mandar? Sinceramente acho que não.

Definitivamente....

Não gosto de ser agarrada por gajas... são mamas a mais, as coisas não encaixam! 
Lamento, não dou para fufa!

quarta-feira, 12 de março de 2014

Todas as cartas estão em cima da mesa...

Apenas ainda não estão completamente visíveis. Eu não mostro que estou interessada, ele não mostra se eu lhe agrado.

Penso que, o grupo onde estamos inseridos vai proporcionar uma aproximação que vai permitir avaliar outros factores.

Enquanto isso, eu vou picando... mostro a perna e o decote e ele fica a olhar com um sorriso no rosto, maquilho-me e ele comenta que fico diferente. Gosto desta fase que me levanta o ego.

segunda-feira, 10 de março de 2014

E pronto!

Acabei por ser eu a meter-me com o fulano... antes da minha cabeça ficar completamente perdida, tenho de perceber se o gajo joga a meu favor ou contra mim. É que com a sorte que eu ando, ele tem os mesmos gostos que eu... e isso é coisa para não resultar!

Eh pá! Falo falo... e depois caio nestas coisas.

Acreditam que o último totó não me sai da cabeça? Não é giro, não é um comunicador nato,... mas é uma pessoa extremamente inteligente e que, vai-se lá perceber porquê, anda a agradar a minha cabecinha!

Para já não tentou nada... mas tenho notado que anda a rondar (e acho mesmo que ele quer mas não sabe muito bem como me abordar).
O grupo onde nos conhecemos está a tratar de organizar um jantar. Espero que ele possa ir e depois logo se vê como as coisas correm. Está visto que estou disposta a dar-lhe trela.

domingo, 9 de março de 2014

Tenho uma tendência para atrair "totós"!!

Eu sei que me estou sempre a queixar que não tenho gajo e que ninguém se interessa por mim etc etc.
Mas eu tenho consciência que se não tenho ninguém (ou não tive já) é mesmo porque não quero (de forma mais ou menos consciente).
Desde que terminei a relação com o meu ex já tive alguns gajos interessados por mim... a questão é que nunca foi reciproco.

Tive o amigo de uma amiga minha a fazer-se à força toda... e este foi de tal forma "agressivo" na sua estratégia que tive de cortar o mal pela raiz!
Tive um amigo que é tão calado e inactivo que, das vezes que fui sair só com ele, cheguei sempre a casa com a sensação que tinha estado a noite toda a fazer um monólogo.
Neste momento, tenho consciência que há um colega que anda a "fazer-se ao piso" e há umas semanas conheci um gajo que (por circunstâncias que agora não vêm ao caso) viu-me com um vestido minúsculo e eu juro que quase lhe saltavam os olhos quando me viu naqueles preparos, cheira-me que está a "segundos" de tentar alguma coisa.

Qual é o denominador comum entre todos eles?
São o VERDADEIRO TOTÓ! Estão a ver o gajo que gagueja, não sabe em que buraco se meter quando vê uma mulher (e então se estiver interessado, valha-nos Deus), aquele que quando finalmente se decide a dizer alguma coisa, só diz asneira, ... Pois, essas são as características de todos os que descrevo aqui em cima.

Big NO, NO!
Para isso prefiro estar mesmo sozinha.

sábado, 8 de março de 2014

Encontros

Merda para os encontros imprevistos! Às vezes dão jeito, é verdade! Mas hoje já vou em dois e ainda não estive com quem combinei. Isto assim é chato.
Ainda assim não me cruzei com o meu pressentimento antes de sair de casa. Nem tudo é mau!

sexta-feira, 7 de março de 2014

Não percebo, simplesmente não percebo!

Olho à volta e vejo gajos giros e interessantes agarrados a verdadeiros camafeus. Mesmo daqueles que não têm ponta por onde se lhe pegue. Gajas que não devem muito à beleza nem querem saber da roupa que vestem ou se estão com o cabelo completamente desgrenhado.

E depois olho-me no espelho. Vejo uma rapariga que também não deve muito à beleza mas que se arranja. Não sou uma boneca de plástico mas gosto de me maquilhar de uma forma bem simples, apenas para acentuar as minhas qualidades e esconder os meus defeitos. Gosto de me vestir com roupas que valorizem os meus atributos... E sinceramente não consigo compreender!
O que elas têm que eu não tenho?
Cérebro? Mas a minha cabeça até contém um cérebro "jeitosinho".
Personalidade fantástica? Tenho plena consciência que não sou a melhor das pessoas... mas também vejo coisas há minha volta que Deus me livre!
São boas na cama? Eh pá! Se calhar é esse o segredo delas e que eu não tenho...

O que é certo é que elas são felizes e contentes em relações com os seus gajos... e eu sou a que sempre tive relações "de merda" que ainda por cima culminou com o facto de ter sido trocada por uma gaja mais nova.
E agora, olhem! Ando em modo de seca completa há 2 anos.... Chiça que ninguém merece!

quinta-feira, 6 de março de 2014

Gym

Neste momento tenho 2 instrutores no ginásio que se metem comigo com sorrisos, piscares de olho, etc.
Ainda por cima são os 2 que visualmente mais me agradam. São bem constituídos sem nenhum exagero!
Um deles eu sou capaz de jurar que é gay... o outro não me parece.
Onde é que quero chegar? Agora, quando vou às aulas do 2º escolho sempre a dedo o que vou vestir... só para terem uma ideia: esta semana não vou a nenhuma aula dele mas já sei o que vou vestir na semana seguinte, no dia dessa aula especifica. E não... essa roupinha não é nada inocente!

(claro que esta é daquelas coisas que vou negar até à cova!)

terça-feira, 4 de março de 2014

Farta

Há dias que simplesmente estou farta disto tudo.
Estou farta do meu trabalho.
Estou farta das pessoas que eu considero como "gorduras".
Estou farta!

Só me apetece atirar os papéis pelo ar e fugir disto tudo! Só me apetece ir para bem longe dessas pessoas que só me fazem mal!

Mas sei que isso não pode acontecer. Não posso deixar tudo para trás e reiniciar a minha vida a partir do 0.
Apenas posso ir tentando viver o melhor que posso com o que me rodeia....